Movelaria

12 dicas para montar um orçamento para fábrica de móveis

12-dicas-para-montar-um-orcamento-para-fabrica-de-moveis

Acertar na precificação é essencial para a saúde financeira de qualquer negócio. Por exemplo, a elaboração de um orçamento para fábrica de móveis tem que ser precisa.

Do contrário, os projetos podem ter o desempenho financeiro prejudicado e até gerar prejuízos. Para que isso não aconteça, vale a pena saber quais são as boas práticas para seguir e quais ferramentas podem ajudar.

Precisa de ajuda na criação de orçamento para fábrica de móveis? Veja 12 dicas para adotar!

Os diferentes tipos de fabricação de móveis

Ao pensar no orçamento para uma fábrica de móveis, é essencial considerar que existem diferentes tipos de processo de fabricação. Cada um é composto por custos variados, sendo necessário considerar algumas particularidades para apresentar estimativas adequadas aos clientes.

Nesse contexto, veja mais sobre os tipos de fabricação de móveis e suas particularidades!

Móveis seriados (prontos)

Os móveis seriados são aqueles produzidos em escala industrial, em maior quantidade e estão prontos para a venda. Alguns exemplos incluem guarda-roupas, mesas de escritório, camas e sofás.

Para a produção ocorrer em grande quantidade, é comum a utilização de um design padronizado. Os produtos finais atendem aos clientes que buscam soluções rápidas e não incluem personalização.

Os fabricantes desse tipo de móvel obtêm diversos benefícios com um software de cálculo de plano de corte, como o Corte Certo.

Com ele, é possível otimizar o aproveitamento das chapas, diminuindo o desperdício de material e aumentando a agilidade operacional, até ordenando os cortes que devem ser feitos. Isso ajuda a aumentar o lucro e permite gerar diferenciação em relação aos concorrentes, devido à velocidade de entrega.

Móveis sob medida (artesanais) 

Os móveis sob medida são criados artesanalmente por marceneiros ou carpinteiros. Cada peça é fabricada à mão e de modo personalizado, considerando as dimensões de um espaço específico.

Esse é o oposto dos móveis seriados, que seguem o mesmo design e têm medidas padronizadas. Os móveis sob medida não apenas têm dimensões específicas, como possuem a possibilidade de escolher elementos como materiais e acabamentos.

Esse tipo de móvel é voltado para quem busca exclusividade e está disposto a investir mais tempo e dinheiro. Afinal, ao contrário de móveis seriados que estão prontos para a compra, as peças feitas à mão precisam de um trabalho mais individual.

Móveis planejados (modulares)

Dentre as opções de fabricação, estão os móveis planejados. Eles podem combinar elementos padronizados e outros personalizados

Isso é possível porque a produção na indústria de móveis planejados prevê a criação de módulos, que são elementos básicos pré-fabricados e projetados para se encaixarem uns nos outros de maneira uniforme. Esses módulos são fabricados em massa, com dimensões e especificações padronizadas, e podem ser prateleiras, gavetas, armários, entre outros.

Como eles podem ser combinados de diferentes maneiras, torna-se possível atender às preferências específicas dos clientes sem que isso exija uma produção artesanal.

É comum que o cliente conte com um profissional intermediário, para definir o layout desejado entre os módulos disponíveis. O fabricante fica responsável pelos acabamentos, arremates e detalhes, dando um toque customizado.

Do ponto de vista produtivo, essa é uma modalidade eficiente, já que os módulos são padronizados e, ainda assim, agregam mais valor com os layouts distintos.

Custos presumíveis de um orçamento para fábrica de móveis

Um dos fatores mais importantes para acertar na elaboração do orçamento é considerar os custos presumíveis. Eles representam os gastos que você pode estimar ou ter alguma margem de confiança na hora de precificar. 

Esses custos são geralmente baseados em análises, projeções ou estimativas de despesas futuras, e podem variar dependendo de vários fatores, como mudanças nas condições de mercado, variações nos custos de matéria-prima ou mão de obra, entre outros.

Esses custos são importantes para o planejamento financeiro e orçamentário das empresas, pois ajudam a prever e controlar os gastos futuros.

É importante notar que os custos presumíveis podem não ser totalmente precisos e podem sofrer alterações à medida que novas informações se tornam disponíveis ou as circunstâncias mudam. No entanto, eles são úteis para estimar e planejar as finanças de uma empresa ou projeto.

Além dos custos associados ao consumo de materiais, ocorre o uso do tempo humano e do uso de máquinas para realização dos processos. Como isso também influencia nos gastos para a execução do projeto, é essencial considerar os fatores de fabricação entre os custos presumíveis.

Com o custo relacionado aos materiais, o Corte Certo possui um módulo de orçamento que auxilia no cálculo de alguns itens que serão utilizados, e devem ser incluídos em um orçamento para fabricação de móveis.

Conheça as etapas de uma estratégia eficaz para a precificação

Na hora de criar um orçamento para fábrica de móveis é essencial considerar os processos futuros no cálculo. Dessa forma, há como evitar surpresas e garantir a saúde financeira da indústria moveleira, considerando os custos associados.

Ao continuar a leitura, você descobrirá um passo a passo com 12 dicas essenciais para acertar na elaboração do orçamento. Confira!

1. Identifique as necessidades do cliente 

Saber quais são as necessidades do cliente é indispensável para criar um orçamento compatível com o projeto — especialmente no caso da movelaria. Nesse sentido, a primeira ação deve ser pré-qualificar o cliente.

Em uma conversa inicial, normalmente feita com o lojista ou algum profissional correlato, é possível compreender o estilo de vida, as preferências de design, as funcionalidades esperadas e o orçamento do projeto. Isso permitirá confirmar que o cliente é adequado para a compra e ajudará a planejar a produção.

Nesse sentido, vale a pena fazer uma listagem completa do que será produzido. Para tanto, considere o material a ser usado, o tamanho final e itens extras.

Além de pensar nos módulos em si, como prateleiras e gavetas, é preciso considerar componentes adicionais. Entre eles, estão:

  • Parafusos para a montagem;
  • Fitas de borda;
  • Corrediças;
  • Puxadores.

O objetivo é entender os recursos do projeto, associando-os corretamente aos custos. Dessa forma, é possível ter mais transparência e precisão no processo de precificação. Isto nos leva ao segundo tópico.

2. Observe a influência dos materiais na precificação

Os materiais utilizados também têm grande impacto na criação do orçamento, sendo essencial entender qual é essa influência.

Para as fábricas de móveis, a escolha de MDF (Medium Density Fiberboard) ou de MDP (Medium Density Particleboard) afeta tanto o custo, quanto a estética final. Logo, dependendo das necessidades e preferências do cliente, os valores serão distintos.

Avaliando de modo geral, o MDF costuma ser um pouco mais caro que o MDP, então a especificação desse material interfere diretamente na criação do orçamento. Ainda, os diferentes acabamentos interferem no preço.

Uma peça com verniz simples terá um preço distinto de outra laqueada. Se isso não for considerado, o orçamento ficará desalinhado com a produção e a entrega ao cliente.

Também é essencial considerar as diferenças de estética e textura dos materiais. Dependendo do tipo de chapa e do projeto, é preciso respeitar essas características para conseguir um resultado mais agradável.

Nesse contexto, o software da Corte Certo é um grande aliado por criar planos de cálculo de corte que consideram as características dos materiais. Além disso, é possível incluir a condição de não rotação pela presença de veios, de modo a preservar o aspecto da peça.

3. Divida o cálculo do preço por ambiente

Quando houver necessidade de criar móveis para ambientes diversos, uma opção é organizá-los considerando o preço por ambiente. A ideia, portanto, é orçar separadamente os móveis de cada cômodo, como cozinha, quarto e escritório.

A ideia é que, dessa forma, é possível considerar a função e o espaço disponível, permitindo atender melhor às necessidades do cliente.

Do ponto de vista da produção, há uma organização melhor dos cálculos de corte. Isso otimiza o aproveitamento de matérias-primas e torna a produção mais eficiente.

Com o software Corte Certo, você tem um aliado fundamental. É possível agrupar os cálculos de todas as peças a serem cortadas dividindo-as por ambientes e, etiquetar as peças para identificá-las facilmente.

Graças à função de etiquetas, fica fácil identificar as peças cortadas no armazenamento. Além de ser uma forma de otimizar os processos de montagens e instalação.

4. Redobre a atenção para fazer o orçamento de fábrica de móveis

Dedicar atenção especial na elaboração de orçamento para fábrica de móveis é essencial para determinar o preço final dos produtos de maneira equilibrada e coerente com a produção.

Nesse processo, é fundamental considerar todas as chapas que serão cortadas — e isso inclui possíveis perdas e arredondamentos para cima. Afinal, nenhum cliente aceitaria pagar além do que foi acordado na contratação, de modo que a coerência é essencial.

Mas, além das próprias chapas, você viu que existem outros elementos que devem entrar no cálculo, como acessórios e itens de acabamento. Para tanto, você pode contar com ajuda do Corte Certo.

O nosso software apresenta um módulo específico que permite incluir no orçamento, elementos que vão desde o valor estimado de corte, as ferragens e quantidade de fitas até as tintas, os vernizes e o frete.

Você pode realizar um teste grátis do sistema da Corte Certo para conhecer mais do nosso sistema.

5. Considere fatores cruciais

A precificação de um projeto desse tipo não pode se limitar ao custo dos materiais e da mão de obra. Também é preciso considerar outros fatores que podem interferir nos preços, de modo que o cliente tenha uma proposta completa e adequada.

Entre os fatores para avaliar estão:

  • Complexidade do projeto: quanto mais personalização e adaptação houver no projeto, maior é o impacto nos custos e no orçamento. Por isso, projetos mais complexos precisam ser precificados de modo diferente;
  • Prazo de entrega: se for necessário acelerar a produção para cumprir um prazo específico, os custos tendem a ser maiores. Prazos menores costumam exigir mais mão de obra, mais horas produtivas e até ajustes nos processos;
  • Acessórios: incluir itens como puxadores, corrediças e componentes especiais também deve alterar o cálculo do orçamento, de acordo com as preferências do cliente;
  • Serviços adicionais: atividades que vão além da fabricação dos móveis, como o transporte e a montagem (se houver), são cobrados à parte, devendo ser incluídos no orçamento.

6. Evite surpresas

Mesmo com todo o planejamento do orçamento, surpresas podem ocorrer. Para evitá-las, o ideal é supervisionar o projeto de modo completo, considerando todas as características relacionadas.

A avaliação precisa das medidas e do espaço, por exemplo, são processos fundamentais na revenda. Isso ajuda a evitar custos adicionais causados por ajustes de última hora, permitindo ter uma abordagem mais proativa.

7. Cote com fornecedores de confiança

A próxima dica envolve o relacionamento com os fornecedores de matérias-primas e outros itens. É essencial cotar apenas com fornecedores confiáveis e de qualidade, já que essa escolha pode afetar diretamente o orçamento.

Os fornecedores de confiança garantem a entrega de materiais de boa qualidade, no prazo esperado e nas condições acordadas.

Isso evita ter que buscar fornecedores de última hora, que tendem a ser mais caros. Essa também é uma forma de ter um bom aproveitamento de materiais.

Ainda, contar com bons fornecedores permite negociar preços e condições de pagamento, até mesmo pelo volume de compra. Esse também é um aspecto essencial para reduzir ao menos parte dos custos de produção.

8. Sempre revise a qualidade do material

Mesmo tendo um fornecedor de confiança, é indispensável conferir a qualidade do material entregue. Essa é uma forma de evitar erros que podem acontecer, como chapas do tipo e tamanho errado ou em quantidades incorretas.

A revisão de qualidade também permite identificar, antes da produção, possíveis problemas. Essa é uma forma de evitar atrasos e custos adicionais, como a compra de novos materiais.

Ao mesmo tempo, não basta garantir que os materiais atendem às especificações. É crucial armazenar as chapas adequadamente para garantir sua integridade.

Especialmente no caso das chapas de madeira, esse cuidado ajuda a evitar danos e deterioração do material. Assim, há como prevenir o empenamento, a deformação ou o surgimento de rachaduras, melhorando o aproveitamento do material nas próximas etapas.

9. Ofereça destaque da concorrência

Tão necessário quanto criar um orçamento preciso é se destacar da concorrência para conquistar a preferência do cliente. Nesse sentido, a ideia é agregar valor ao orçamento, demonstrando os diferenciais.

É interessante abordar questões como o material, os acabamentos e eventuais serviços adicionais. Isso ajudará o cliente a perceber a qualidade geral dos produtos orçados.

Também nesse sentido é essencial usar o Corte Certo. Como ele resulta na otimização do plano de corte das chapas, há a redução no desperdício e o aumento no aproveitamento das chapas, e dos retalhos.

Isso costuma resultar em uma redução nos custos, a qual pode ser repassada para o cliente. Assim, o orçamento pode oferecer um custo-benefício melhor, em especial em comparação com os concorrentes. 

10. Inclua softwares e ferramentas para facilitar a criação de orçamentos 

Como um dos objetivos se reflete na precisão no orçamento para fábrica de móveis, é interessante recorrer às ferramentas de otimização. Ter uma base completa de dados é essencial para agilizar a criação do orçamento, garantindo que os valores sejam compatíveis com o projeto.

Também é possível utilizar recursos que calculem o preço em fabricação de móveis, estimativas com base em projetos anteriores e até nos concorrentes.

Em termos de tecnologia, os softwares da Corte Certo é essencial. Com ele, há como reduzir erros nos cálculos de planos de corte e otimizar a produção.

Ainda, é possível usá-lo para incluir diversos componentes que interferem no preço do projeto. Assim, fica muito mais fácil e rápido elaborar um orçamento completo.

11. Tenha o fator humano em mente

Por melhor que seja o preparo para criar o orçamento e fabricar os móveis, erros humanos são naturais e podem ocorrer em diversas situações. Logo, a criação de um orçamento não deve desconsiderar o fator humano.

As pessoas estão sujeitas a cometer falhas por diversos fatores, como pressa para entregar o resultado, cansaço ou desatenção. Porém, é possível mitigar os efeitos desses erros e até diminuir a probabilidade de eles ocorrerem.

Nosso software se destaca por ter um uso simplificado e que facilita a adaptação dos funcionários. Com isso, há muito menos riscos de um colaborador calcular incorretamente um plano de corte e perder uma chapa. 

Como o software é fácil de configurar e utilizar, fazendo todo o plano automaticamente, o resultado tende a ser mais satisfatório.

12. Não deixe dúvidas sobre o projeto

Ao criar um orçamento, é essencial dispor de todas as informações necessárias sobre o projeto. Isso aponta para a necessidade de não deixar dúvidas sobre o projeto, especialmente antes da assinatura do contrato.

Na prática, muitos conflitos ocorrem após o acordo já estar selado, inclusive por erros grosseiros de leitura do projeto. Dimensões erradas ou aplicações não consideradas são apenas alguns exemplos e podem prejudicar o cliente e o fabricante.

Para evitar esse tipo de problema, deve-se ter um canal aberto entre as partes para garantir que todos os requisitos e especificações sejam compreendidos

Com uma boa documentação, incluindo detalhes e dimensões, é possível ter mais clareza sobre todo o projeto. Já o canal de comunicação aberto permite esclarecer dúvidas que possam surgir e solucionar eventuais problemas, diminuindo os impactos sobre o orçamento.

Equilibre a experiência profissional com o uso do software 

Como você viu, utilizar um software tão prático como é o Corte Certo otimiza os planos de corte e favorece desde o orçamento até a produção. Porém, isso não invalida o papel do profissional com anos de experiência.

O ideal é buscar o equilíbrio do uso do software para otimizar o plano de cálculo  de corte com a experiência profissional.

Inclusive, essa atuação complementar é fundamental para garantir que os profissionais fiquem disponíveis para outras etapas críticas do processo. Assim, a expertise deles é usada em tarefas de maior impacto, ao mesmo tempo que o processo fica mais eficiente.

Conheça o melhor sobre cálculos de plano de corte

Para uma fábrica de móveis, acertar na elaboração do orçamento é indispensável. Isso permite atender melhor às necessidades dos clientes e evita imprevistos financeiros ao longo do projeto. 

Quanto mais transparente e preciso for o orçamento, melhor tende a ser o atendimento às necessidades do cliente. Por isso, vale a pena utilizar essas 12 dicas para otimizar esse processo.

Quer aprender mais e tornar sua produção cada vez melhor? Confira nossos guias no YouTube!

Categorias: Movelaria

Um comentário sobre 12 dicas para montar um orçamento para fábrica de móveis