Plano de corte

Por que assinar um software para plano de corte de chapas?

Por-que-assinar-um-software-para-plano-de-corte-de-chapas

Especialmente na indústria moveleira, o corte de chapas precisa ser bem planejado. Com um planejamento otimizado, é possível ter um uso melhor de recursos, obtendo mais velocidade no processo de fabricação, além de reduzir as chances de erros e de perdas de materiais.

Em um cenário com uma crescente demanda por produtos com estéticas coesas, e que exige a otimização de recursos, ter um software que realiza os cálculos de plano de corte se tornou indispensável. Afinal, com esse recurso a etapa de corte passa a contar com planos otimizados e direcionados.

Quer descobrir por que é tão relevante assinar um software para plano de corte de chapas? Continue a leitura para conferir a resposta!

O processo de corte de chapas

Antes mesmo de pensar no papel de um software para cálculo de corte de chapas, é essencial compreender esse processo na indústria. Ele tem a principal função de transformar chapas maiores de material em peças utilizáveis, aplicáveis aos usos de interesse.

Essa é uma etapa que ocorre em diversos segmentos, como na indústria moveleira e o segmento metalúrgico, por exemplo. Porém, vale saber que existem diferenças na terminologia nesses dois setores.

No caso da indústria metalúrgica, a expressão “corte de chapas” está mais relacionada ao tipo de ferramenta utilizada. Entre as opções, estão oxicorte, jato de água, laser, plasma e outras.

Já no setor moveleiro, o corte de chapas é exatamente essa transformação de materiais, como as chapas de madeira. A partir disso, é possível criar móveis de acordo com o projeto.

Então, o próximo passo é entender com mais profundidade esse processo e suas características. Confira!

Multiplicidade de materiais e sanduíche de chapas

Ao lidar com o corte de chapas, existe a técnica conhecida como sanduíche de capas. Ela tem como objetivo otimizar o processo de corte ao garantir fazer com que diversas chapas sejam empilhadas. Como as chapas ficam uma sobre as outras formando uma espécie de recheio de sanduíche.

Essas chapas podem ser feitas de materiais iguais ou diferentes e geralmente são cortadas juntas por terem características semelhantes ou idênticas. Certos setores, como o de vidros, fornecem exemplos comuns de produtos destinados a diversas finalidades, como isolamento térmico e acústico. 

Um dos maiores benefícios de usar essa técnica é o ganho de eficiência e produtividade

Ao mesmo tempo, é preciso observar as características do material. Um vidro laminado é composto por dois ou três tipos de vidro, que podem ser diferentes ou iguais, mais uma camada de película. No entanto, o empilhamento para corte não é feito. O mais comum é apenas riscar o vidro e destacar cada um para o corte.

materiais como papéis, papelão e chapas de madeira podem ser empilhados para o corte. Isso pode ocorrer de uma só vez em guilhotinas ou com seccionadoras.

Para otimizar todo esse processo é possível contar com uma ferramenta especial do Corte Certo chamada de “materiais múltiplos”. Esse é um recurso que permite criar um cálculo simultâneo utilizando vários materiais, iguais ou variados.

Padrões de corte

Em um plano de corte bidimensional, é comum haver uma multiplicidade de restrições e requisitos. Essas são condições que devem ser respeitadas na criação de um plano de corte eficiente.

Esses requisitos costumam variar com o tipo de projeto e de material e incluem questões como:

  • Tamanho da chapa;
  • Tamanho e formas das peças;
  • Espessura da ferramenta de corte, como a serra;
  • Esquadrejamento da chapa;
  • Sentido do veio ou ranhura do material;
  • Sequência de cortes;
  • Fases de corte;
  • Arranjos mistos;
  • Preferência de corte inicial.

Ainda, um projeto com uma grande variedade de peças, chapas de diferentes dimensões e retalhos são questões que interferem na complexidade de elaboração do plano de corte.

Nesse sentido, o uso de um software para automatizar o plano de corte de chapas é essencial. Com o software Corte Certo, por exemplo, é possível ter padrões de corte mais eficientes, o que melhora o aproveitamento de materiais e aumenta a eficiência do processo.

Fases do corte das peças

Outro ponto que exige atenção envolve as fases de corte das peças. Antes de entendê-las, entretanto, é preciso compreender quais são os tipos de corte existentes para os materiais em um plano bidimensional.

A seguir, veja quais são as duas classificações e entenda as características das fases de corte!

Corte guilhotinável

A primeira classificação é o corte guilhotinável, ou guilhotina. Nesse tipo, não há interrupção. Sendo assim, a máquina de corte vai de um lado a outro da peça de uma só vez.

Ainda, o corte guilhotinável pode ser vertical ou horizontal. E a partir dele, é possível realizar outros cortes nas tiras obtidas de material, de acordo com o plano pré-definido.

Corte não guilhotinável

Já o corte não guilhotinável ocorre quando há interrupção em pelo menos uma das linhas de corte. Por causa disso, não é possível utilizar as máquinas de corte direto, já que o corte precisa ser interrompido.

Vale notar que um plano de corte pode prever, ao mesmo tempo, cortes guilhotináveis e não guilhotináveis. Em geral, essa é uma disposição que ajuda a melhorar o aproveitamento das chapas.

Após abordar esses conceitos principais, é possível entender a fase de corte. Ela é composta por uma sequência de cortes guilhotináveis horizontais ou verticais. Na prática, a mudança para uma segunda fase exige que a peça seja girada.

Imagine que um plano de corte prevê dois cortes guilhotináveis horizontais em toda a chapa. Depois que as tiras são obtidas, é preciso cortar as peças contidas em cada uma. Logo, essa etapa é o que chamamos de segunda fase.

Vale notar que os cortes feitos em duas fases podem ser exatos ou inexatos. No primeiro tipo, as larguras das peças que compõem a tira têm a mesma largura. Já nos inexatos as peças podem ter larguras distintas.

Um corte em 3 fases também é chamado de corte Z e preveem dois giros nas peças produzidas. Já o corte em 4 fases é conhecido como corte W e prevê três giros nas peças.

Qual é o tempo gasto para calcular todo o encaixe e corte das peças?

Para ocorrer o corte de chapas é necessário garantir que todas as peças sejam calculadas e encaixadas no plano de corte. Porém, essa tarefa tem uma duração que varia com alguns fatores.

O primeiro deles é a quantidade de peças de dimensões diferentes. Quanto maior for o número de peças, mais complexo se torna encaixar todas na chapa de modo eficiente. Com isso, é preciso calcular diversas combinações e posicionamentos para atingir o resultado ideal, o que leva mais tempo.

Outro aspecto a considerar é a quantidade de chapas de diferentes dimensões. Quando todas as chapas têm o mesmo tamanho, é mais fácil apenas replicar o plano otimizado. Porém, com chapas de dimensões diferentes e a inclusão do uso de retalhos, o cálculo se torna mais complexo e demorado.

Ainda, vale considerar a capacidade de processamento e memória dos equipamentos. Equipamentos mais potentes normalmente realizam tarefas em menos tempo, mesmo se forem mais complexas.

Porém, mesmo assim o uso de um software é muito mais eficiente e ágil que o cálculo manual. Normalmente, fazer todo o cálculo e encaixe leva de alguns segundos a alguns minutos para a conclusão.

Você ainda faz cálculo manual?

O cálculo manual do plano de corte de chapas depende de ainda mais fatores. Além das questões relacionadas ao projeto, como sua complexidade ou volume de peças, é preciso pensar na habilidade do operador e nas ferramentas disponíveis.

Isso faz com que o cálculo manual também seja mais suscetível a erros e demande mais tempo do operador, em comparação com um software. Com isso, todo o processo se torna menos eficiente, prejudicando os resultados gerais do corte de chapas.

Benefícios do software de cálculo de plano de corte

Na hora de criar o plano de corte de chapas, o ideal é ter a ajuda de um software especializado, como o Corte Certo. Com essa ferramenta, é possível obter diversos benefícios, incluindo:

  • Otimização do corte;
  • Máximo aproveitamento de materiais;
  • Redução dos desperdícios e dos custos operacionais;
  • Prevenção de erros humanos;
  • Redução da necessidade de retrabalho;

Com o Corte Certo, você ainda aproveita outros benefícios, como personalização do plano de corte, como ao escolher o direcionamento do corte.

Ainda, é possível explorar a compatibilidade com outros softwares. Ao integrar o software CC com um sistema ERP, por exemplo, é possível exportar os dados dos planos de corte para otimizar a gestão.

Com a Corte Certo fica bem mais simples

Conforme você aprendeu, desenvolver bons planos de corte de chapas tem grande relevância estratégica. A partir deles, é possível ter mais otimização nos processos, diminuindo desperdícios de materiais e reduzindo custos operacionais.

Nesse contexto, investir em um software de plano de corte é essencial. Ele ajuda a aumentar a eficiência e confiabilidade dos planos de corte, além dos demais benefícios. Com isso, a ferramenta oferece retorno sobre o investimento para a empresa, justificando sua adoção.

O software Corte Certo é a sua melhor escolha para fazer os melhores planos de corte. Garanta seu teste grátis e veja as funcionalidades em ação!

Categorias: Plano de corte